Cuidados necessários com as Calopsitas | Centro Veterinário do Anil

Cuidados necessários com as Calopsitas

A calopsita está entre as principais aves escolhidas para estar presente nas residências e costuma viver fora das gaiolas.

A calopsita é uma ave que pode ser encontrada em todos os cantos do mundo não à toa, também é adorada em todo ele. Integrantes do gênero dos psitacídeos, mesmo dos papagaios, araras, cacatuas, ela é uma das principais escolhas de quem deseja ter uma ave de estimação em casa.

Bastante independentes, a calopsita não gosta de viver em gaiola e prefere ser criada solta. Ela estará constantemente perto do dono, seguindo os passos dele pela casa, por ser um animal muito companheiro. Além disso, é conhecida pela grande capacidade de aprender truques caso seja bem treinada.

Como criar uma calopsita? Conheça os cuidados básicos:

A criação das calopsitas pode ser feita em gaiolas, mas não é o ideal, por isso ela é mais indicada para quem mora em apartamento (por ser um local mais fechado e como menores riscos de fuga). Se a intenção for criá-la solta, é importante consultar um advogado para efetuar o corte das asas. Essa é a melhor opção, já que a ave é barulhenta e precisa de espaço para que possa cantar, gritar ou assobiar sem muitos problemas.

Entre os principais cuidados básicos, o que mais se destaca é a alimentação, limpeza da gaiola (caso seja não seja criada solta), horários de sono e cuidados específicos com a saúde, que podem variar bastante e precisam de um acompanhamento médico.

Alimentação

As calopsitas vivem principalmente de sementes e rações específicas – que podem ser encontradas em pet shops ou lojas especializadas. As sementes não podem ser de apenas um tipo, geralmente são um mix de painço (em torno de 50%) e alpiste, aveia, arroz e girassol (que podem ser divididos nos outros 50%). Verduras, legumes e frutas podem complementar o cardápio.

Geralmente a alimentação da calopsita é baseada em um mix de sementes.
Caso você deseje alimentar a ave com legumes ou folhas, é preciso ficar atento. Opções como almeirão, cenoura (ralada), rúcula, couve flor, jiló, couve e abobrinha devem ser dados crus, enquanto batata doce, milho verde e sementinhas de abóbora podem ser dados cozidos, sem nenhum tipo de tempero.

Frutas como mamão, maçã e melancia também são boas pedidas para as calopsitas, assim como os ovos – desde que sejam sempre bem cozidos e amassados antes. Já os alimentos que não podem nem se quer serem considerados na alimentação das aves são: alface, alimentos fermentados (como bolos ou pães), agrião, leite e seus derivados.

Reprodução

A reprodução das calopsitas pode ser realizada a partir do primeiro ano de vida  e em qualquer época do ano. Porém, o mais recomendado é realizar entre 2 a 3 ninhadas anuais, com o objetivo de não levar as aves à exaustão. Os ninhos para o acasalamento de calopsitas podem ser tanto verticais como horizontais, apesar de os verticais serem mais comuns (com até 40 cm de altura). Tanto aves fêmeas como machos chocam. Para facilitar a reprodução, cubra o ninho com aparas ou turfas.

O acasalamento pode gerar entre 4 e 7 ovinhos, e a incubação deles varia entre 15 e 20 dias. Os filhotes devem viver com seus pais, pelo menos, até completarem 60 dias.

Como lidar com uma calopsita?

A ave extremamente ativa, além de super inteligente. Não à toa, exige interação e atenção do dono. Caso ela não receba a atenção que deseja, pode ter algumas atitudes estranhamente agressivas, como é o caso de arrancar suas próprias penas.

As calopsitas são barulhentas, apesar de serem mais calmas e quietas após a domesticação. Mesmo assim, em alguns períodos, elas vão querer cantar, assobiar ou até mesmo gritar. Quando isso acontecer, não as interrompa.

× Fale Conosco